www.ICANTOLEDO.com analysis

Nov 06 2019

Title

I-CAN - Instituto do Câncer de Toledo

Keywords

Description

Header

Date : Wed, 06 Nov 2019 21:45:04 GMT
Server : Apache
Upgrade : h2,h2c
Connection : Upgrade, Keep-Alive
Last-Modified : Mon, 24 Sep 2018 14:39:23 GMT
Accept-Ranges : bytes
Vary : Accept-Encoding
Content-Encoding : gzip
Content-Length : 8286
Keep-Alive : timeout=5, max=75
Content-Type : text/html

Suffix ,Language

com.br pt

DNS

MX:MX preference = 0 mail exchanger = icantoledo.com.br.
NS:ns2.dnstock.com.br.,ns1.dnstock.com.br.
A:icantoledo.com.br.,108.167.188.187
CNAME:icantoledo.com.br.

Whois

domain:icantoledo.com.br
registrant:IGAST- Instituto de Gastroenterologia Ltda
registrant_id:03.538.924/0001-34
Coutry
BR
owner_c:NSF59
admin_c:NSF59
tech_c:NIPLT7
billing_c:NSF59
nserver:0:ns1.dnstock.com.br
1:ns2.dnstock.com.br
nsstat:20191104 AA
nslastaa:20191104
saci:
created:0:20070627 #3707670
1:20050912
2:20130827
expires:20200627
changed:0:20190706
1:20180828
2:20160607
Status
published
nic_hdl_br:0:NSF59
1:NIPLT7
person:0:Nilson Silvio Fante
1:NTV IMAGEM E PROPAGANDA LTDA
email:0:nilson@ntv.com.br
1:internet@ntv.com.br

Ads analysis

Website Content

 



* HOME
* INSTITUCIONAL
* CÂNCER
* PREVENÇÃO
* QUIMIOTERAPIA
* VÍDEOS
* CONTATO

AGENDAMENTO POR WHATSAPP: 45 9 9987-8538 | 45 3055-4055

Conhecimento, Tecnologia e Estrutura Moderna

MARQUE UMA CONSULTA

## SEÇÕES:



CORPO
CLÍNICO



SERVIÇOS



CONVÊNIOS



LINKS
ÚTEIS



Dr. Fabricio Pavia
Aguiar

CRM 17.444 - RQE 12.282
Especialista em
Cancerologia



Dra. Carla Elisa
Scherer

CRM 24.706 - RQE 1.866/1.867
Hematologista e
Hemoterapeuta



Dr. João Paulo
Carniel

CRM 30.639
Especialista em Cirurgia
Geral e Oncologia



Dra. Angela
Dasenbrock

CRM 29.020 - RQE: 23.144
Especialista em
Oncologia Clínica

PROCEDIMENTOS:

* Biópsia
* Cirurgia Oncológica
* Colposcopia
* Hemoterapia
* Imunoterapia
* Cuidados Paliativos
* Quimioterapia
* Sangria Terapêutica

PARA SUA COMODIDADE, O I-CAN FIRMOU PARCERIA COM DIFERENTES
CONVÊNIOS OFERENCENDO ATENDIMENTO E PROCEDIMENTOS DE QUALI-
DADE. CONFIRA OS CONVÊNIOS ATENDIDOS:

* FUNDAÇÃO COPEL
* SEMPRE VIDA
* UNIMED
* SANEPAR
* CORREIOS
* NIPOMED
* AMIC
* SADIA
* SINAM

* INCA - INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER
* SOBRAFO - SOCIEDADE BRASILEIRA DE FARMACÊUTICOS EM ONCOLOGIA
* SBOC - SOCIEDADE BRASILEIRA DE ONCOLOGIA CLÍNICA
* PORTAL DA SAÚDE
* FUNDAÇÃO DO CÂNCER
* FUNDAÇÃO WALDYR BECKER
* ONCOLOGIA BRASIL



## INFORMAÇÕES:

TIRE SUAS DÚVIDAS

Este material tem como objetivo esclarecer dúvidas a pacientes e familiares
sobre o tratamento quimioterápico e quais cuidados devem ser tomados na
ocorrência dos efeitos colaterais. O conteúdo é básico e não se dispõe..

VER MAIS

DIREITOS DO PACIENTE

Amparo Assistencial ao Idoso e ao Deficiente (LOAS - Lei Orgânica de
Assistência Social)...

VER MAIS



## CAMPANHAS NACIONAIS DE PREVENÇÃO:



08 DE
ABRIL Dia Mundial de
Combate ao
Câncer



29 DE
AGOSTO Dia Mundial de
Combate ao
Fumo



27 DE
NOVEMBRO Dia Nacional de
Combate ao
Câncer

X Biópsia

Biópsia – do grego, bios = vida e opsis = aparência, visão - é o procedimento
realizado pelo médico gastroenterologista com especialização específica para
colher pequenos fragmentos de tecido orgânico de diferentes partes do corpo
humano para determinar a natureza e o grau da lesão estudada.

X Cirurgia Oncológica

É um dos procedimentos mais importantes no tratamento do câncer. Realizada por
profissional médico com titulação específica, é por meio dela que o tumor é
retirado obedecendo princípios oncológicos, como a sabedoria sobre a doença e
seu desenvolvimento, a retirada do tumor com os cuidados necessários para não
deixar que a doença se espalhe durante o ato cirúrgico, a retirada de todos os
locais para onde a doença possa ter se espalhado.
Quando há a detecção precoce da doença a cirurgia oncológica tem finalidade
curativa. Quando o estágio da doença está avançado, esse procedimento tem
caráter paliativo, aliviando sintomas decorrentes da presença do tumor.
A cirurgia oncológica também é utilizada para se saber a extensão da doença em
casos em que só é possível de ser certificada durante o ato cirúrgico.

X Colposcopia

A colposcopia é um procedimento internacionalmente consagrado e utilizado na
detecção do câncer do colo do útero.
O procedimento é realizado pelo médico especialista por meio de um aparelho
chamado “colposcópio” que é um grande microscópio que permite a visualização
de alterações que possam provocar câncer no colo uterino.
É um procedimento simples, realizado em ambulatório preparado para essa
finalidade e indicado sempre que houver alguma alteração no preventivo
(Papanicolau).

X Hemoterapia

Hemoterapia é uma especialidade médica voltada ao estudo e à cura da
fisiologia e de patologias do sangue, da medula e dos gânglios linfáticos,
diagnosticando, tratando e buscando a cura de carcinomas sanguíneos e
problemas na medula óssea.
Os tratamentos hemoterápicos utilizam o sangue e alguns de seus elementos,
como o plasma, para chegar à cura em procedimentos que visam acabar com o
sofrimento de pessoas acometidas pela leucemia e linfoma, os mais comuns casos
de distúrbios do sangue e da medula óssea.

X Imunoterapia

Procedimento que estimula o sistema imunológico no tratamento do câncer por
meio do uso de substâncias modificadoras da resposta biológica. A imunoterapia
é classificada:
Ativa - substâncias estimulantes e restauradoras da função imunológica
(imunoterapia inespecífica) e as vacinas de células tumorais (imunoterapia
específica) são administradas com a finalidade de intensificar a resistência
ao crescimento tumoral;
Passiva - anticorpos antitumorais ou células mononucleares exógenas são
administradas, objetivando proporcionar capacidade imunológica de combate a
doença.
Fonte: INCA.

X Cuidados Paliativos

Procedimentos paliativos são um conjunto de cuidados multidisciplinares que
visam melhorar a qualidade de vida de uma pessoa doente, tratando da dor e
outros problemas físicos, aliviando e prevenindo o sofrimento diante de uma
doença que pode por fim à vida.

X Quimioterapia

A quimioterapia é o método que utiliza compostos químicos, chamados
quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. No
caso do câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou
quimioterapia antiblástica.
As pesquisas permitiram o surgimento de quimioterápicos mais ativos e menos
tóxicos. Os avanços verificados nas últimas décadas, na área da quimioterapia
antineoplásica, têm facilitado consideravelmente a aplicação de outros tipos
de tratamento de câncer e permitido maior número de curas.
Os agentes utilizados no tratamento do câncer afetam tanto as células normais
como as neoplásicas, porém eles acarretam maior dano às células malignas do
que às dos tecidos normais, devido às diferenças quantitativas entre os
processos metabólicos dessas duas populações celulares.
A quimioterapia pode ser:
Monoquimioterapia – de uso restrito devido à ineficácia em induzir respostas
completas ou parciais significativas, na maioria dos tumores;
Poliquimioterapia é de eficácia comprovada e tem como objetivos atingir
populações celulares em diferentes fases do ciclo celular, utilizar a ação
sinérgica das drogas, diminuir o desenvolvimento de resistência às drogas e
promover maior resposta por dose administrada.
A quimioterapia pode ser classificada em:
Curativa - quando é usada com o objetivo de se conseguir o controle completo
do tumor, como nos casos de doença de Hodgkin, leucemias agudas, carcinomas de
testículo, coriocarcinoma gestacional e outros tumores;
Adjuvante - quando se segue à cirurgia curativa, tendo o objetivo de
esterilizar células residuais locais ou circulantes, diminuindo a incidência
de metástases à distância;
Neoadjuvante ou prévia - quando indicada para se obter a redução parcial do
tumor, visando a permitir uma complementação terapêutica com a cirurgia e/ou
radioterapia;
Paliativa - usada com a finalidade de melhorar a qualidade da sobrevida do
paciente.
Fonte: INCA.

X Sangria Terapêutica

Esse procedimento é um método usado como paliativo no controle de distúrbios
do sangue, como o aumento de glóbulos vermelhos(poliglobulia) ou de ferro no
sangue(hemocromatose).
A sangria terapêutica deve ser realizada por indicação de um médico com
especialização específica que indicará também a frequência, que pode ser
diária, semanal, mensal).
É um procedimento relativamente simples, mas que exige acompanhamento
especializado, pois alguns pacientes podem ter reações adversas à redução do
sangue no organismo, como náuseas, palidez e sudorese, entre outros.
A Sangria terapêutica é semelhante à doação de sangue, mas o sangue coletado é
sempre descartado, mesmo que o paciente atenda os requisitos exigidos de um
doador regular.



**45 3055-2055 |** Rua Guarani, 1768 - CEP 85900-190 - Toledo - Paraná

E-mail: ican@cima.com.br

CIMA©2016 | Todos os Direitos Reservados - **NTV**